21 dezembro, 2008

MÚSICA FLOR DO MAMULENGO

Flor do Mamulengo
Composição: Luiz Fidelis
Eu sou a flor do mamulengo
Me apaixonei por um boneco
E ele "neco" de se apaixonar"
Neco" de se apaixonar (Bis)E ele "neco"
Já estou com os nervos a flor do pano
De desengano vou ter um treco
E ele "neco" de se apaixonar
"Neco" de se apaixonar (Bis)E ele "neco"(Refrão)
Se no teatro eu não te atar
Boneco eu juro vou me esfarrapar
Eu não consigo viver sem teu dengo, meu mamulengo (Bis)
E ele "neco" de se apaixonar
"Neco" de se apaixonar (Bis)E ele "neco"
Clic no link e ouça a música:

13 dezembro, 2008

NOVO PROJETO DA MARIONETE E SAÚDE

LUDOTECA DA MARIONETE
Expressão Cultural, Educação e Saúde
Aguarde para 2009 .

12 dezembro, 2008

OFICINA DE MARIONETES

Aplicação da Oficina de Marionetes nas Escolas e apresentação no Sarau do Museu do Mar.

25 novembro, 2008

KIT DA MARIONETE SAÚDE - BRASIL

KIT: AS ARVORES ENCANTADAS E SUAS MARAVILHOSAS HISTÓRIAS:
FÁBULAS E CONTOS DE FADAS

OFICINA MARIONETES FRANKLIN CASCAES

OFICINA MARIONETE NO MUSEU DO MAR

REZA CONTRA BRUXAS

"(...) Tosca marosca,

rabo de rosca,

aguilhão nos teus pés e

e freio na tua boca.

Por riba do silvado

e por baixo do telhado! São Pedro, São Paulo, São Fontista.

Dentro da casa, São João Batista - Bruxa, tatara- bruxa,

tu não me entres nesta casa,

nem nesta comarca toda

- Por todos os santos. Amém!"

OFICINA BASEADA NA MITOLOGIA DE FRANKLIN CASCAES

21 novembro, 2008

SEMINÁRIO MARIONETE E SAÚDE - BRASIL

Apoio: Marionnette et Thérapie – França. Realizado em Julho de 2001
"Je vous envoie un diaporama sur le travail fait à Curitiba en 2001. Nous l’avions préparé pour mai 2007 à Cervia."
Serge L
Clic aqui para ver os Slides

20 outubro, 2008

OFICINA NO MUSEU DO MAR

OFICINA DE MARIONETES LIVRO ANIMADO – LIVRO ENCANTADO
"A ARTE DE LER, CRIAR E CONTAR HISTÓRIAS COM MARIONETES"
Nas Asas das Fadas e das Bruxas
Esta oficina capacitou professores, arte-educadores, contadores de histórias, voluntários e pais utilizando a técnica de marionetes de vara e varetas, montando um kit individual para ser utilizado na arte de contar histórias animadas.
Suas diversas formas de ação provocaram o extremo envolvimento dos 15 participantes ao Poder da Mitologia de Franklin Cascaes, num clima propício às Artes, abrindo acesso ao Teatro de Animação com a Magia das Marionetes, incentivando a pesquisa, a leitura e a criação dos contos.
Personagens entre bruxas, fadas e seres mitológicos estavam sendo criados com muitas possibilidades e todos os grupos tiveram oportunidade de apresentar histórias animadas apaixonantes com criatividade, arte e talento.
Foram momentos maravilhosos que vivenciamos "quando o gosto é bom, não vemos a hora passar" declarou a Arte-Educadora Andréa O.
Agradeço a participação de todas e em especial da bibliotecária Cleonisse, meu anjo da guarda, faço minhas as palavras da professora Suelen W. "espero que logo possamos repetir esta experiência".

16 outubro, 2008

ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE SÃO FRANCISCO DO SUL

Caros Colegas Acadêmicos e Imortais,
Ontem, ao conhecê-los melhor, tive a certeza de que estou
entre pessoas especiais. Histórias de vidas, ligadas às artes e à literatura, de fazer “cair o queixo” da maioria dos “mortais”, foram recolhidas pelo meu coração, quais flores desta estação.
A primavera proporciona esta colheita, que é divina não só porque imortalizam as pessoas, que desde sempre são divinas e imortais, mas porque conecta a todos, e não por acaso, às expressões e impressões mais sublimes do Universo: o Amor.
O Amor pelas palavras, pelas cores, pelos gestos, pela música...
Pela arte de fazer outras pessoas felizes através de um dom.
Faço um brinde à Academia de Artes e Letras de São Francisco do Sul, que já nasceu sublime, e agradeço aos imortais, encantadores de almas, por permitir a minha passagem neste recinto de magnânimos, que será
inspiração para toda a vida.
E começo por agora: NA PRIMAVERA Colho entre os lírios as almas Que me confortam, Acolhem, Espelham. E em meio ao vôo das gaivotas Me entrego e aspiro... Sou mais uma, Somada às notas do eterno. Guardo, entre sonhos e louros, Todas as vidas, Todos os amores. Assim, sendo imortal, Nada perco, nada perece, Tudo são músicas, palavras, gestos e cores.
Aos meus queridos colegas Acadêmicos, o abraço fraterno, e que O Arquiteto do Universo nos inspire a bem-querença, dias de satisfações e realizações do nosso mais concreto sonho.
Da colega Acadêmica e, quem diria, também Imortal, Renata L. C.
São Francisco do Sul, 15 de outubro de 2008 - Primavera.

03 setembro, 2008

PROJETO LA FONTAINE E SUAS FÁBULAS

AS ÁRVORES ENCANTADAS E SUAS MARAVILHOSAS FÁBULAS
“Sirvo-me de animais para instruir os homens.”
“Jê me sers d’animaux pour instruire les hommes.”
La Fontaine O Blog Livro Animado-Livro Encantado apresenta este projeto de contos através das Fábulas de La Fontaine, representadas pelo Teatro de Animação (marionetes, formas e mãos animadas) priorizando a vida e a obra do poeta francês naturalista do século XVII, Jean de La Fontaine, que escreveu verdadeiramente a Comédia Humana dos animais em forma de Fábulas.
O que constitui o seu encanto supremo é a vida potente que ele sabe dar a todos estes animais que se movem no imenso tablado da natureza, que falam a linguagem que ele lhes presta, obedecendo a paixão que ele lhes atribui. É que os seus personagens tem a um tempo a verdade humana e a verdade zoológica.
Suas Fábulas, inspiradas em Esopo e em Fedro, com seus milhares de personagens envoltos nas mil peripécias encontradas na tragi-comédia, constituem a existência na terra tanto do homem como do animal e da planta.
“É possível que o meu trabalho faça surgir em outros o desejo de levar a tarefa mais longe, já que esta matéria está longe de ser esgotada, pois ainda há muitas fábulas para por em verso, além das que fiz.” La Fontaine
As Fábulas colocam em cena animais que falam e que servem de ilustração a preceitos morais, criando novas soluções e situações, envolvendo a todos num ambiente de bom humor.
SINÓPSE DA HISTÓRIA
O Espetáculo é uma História em versos e música, que enfoca o tema da Árvore, tendo como cenário a ambientação de uma floresta e como personagem principal uma Velha Árvore contadora de Fábulas. Durante a estação do inverno muitos animais (insetos) ao encontrá-la se abrigam e se aconchegam a ela, construindo suas moradias, contando suas aventuras e desventuras.
A floresta e tudo que se refere a natureza (lua, sol, estrelas, neve, vento, água) envolvem a cena.
A história se inicia com uma Fábula de La Fontaine “A Cigarra e a Formiga” , adaptada para o Teatro de Animação.
A Fábula é contada por uma “Velhinha Sonhadora”(Árvore) que fica a imaginar como seria sua vida se pudesse voar como os insetos e com tristeza – sonha, até se conscientizar de seu valor na natureza.
Como diz La Fontaine:
“A imaginação tem sobre nós muito mais império do que a realidade.”
O espetáculo trabalha com ações irreverentes típicas das Fábulas, representando os sentimentos humanos que são evidenciados nos animais. Ex: a formiga é laboriosa, a raposa é hábil, o leão é real, o lobo é voraz, etc...
Como diz La Fontaine:
“Uma ampla comédia com cem atos diversos, donde a cena é o universo.”
PARA SABER MAIS SOBRE A VIDA E OBRA DE JEAN DE LA FONTAINE CLIC AQUI:

24 agosto, 2008

A ÁRVORE

Ela dominou o mundo desde o começo e talvez desde os tempos anteriores ao começo. Seu tronco se elevou reto e sem falha como uma coluna de porphyre; então o tronco se separou em dois ramos de igual grossura, um se dirigiu para a direita, o outro para a esquerda. Estes dois ramos estavam em pontos semelhantes e carregados de frutas maravilhosas que esalavam um perfume sutil. Homens veneraram a árvore, mas sem jamais se aproximarem. Uma pessoa disse que um dos ramos levava frutas suculentas que derramavam vida, força, inteligência; mas que outro levava a morte e morte com sofrimentos intoleráveis. Ninguém sabia qual era a que portava a morte, também por prudência ninguém comia de suas frutas. Chegou um tempo de cruel desolação; uma seca impiedosa queimou toda a vegetação até o menor galho de erva. Os animais e em seguida os homens, morreram de calor, de fome e de sede. A árvore permaneceu só, inalterada, boa como no primeiro dia do mundo. Ninguém se aproximava! Depois deste tempo de seca chegou a chuva, mas uma chuva devastadora; a água encheu os rios e também inundou os pobres campos queimados, logo as aldeias, e os que não estavam mortos e que tinham sobrevivido à aridez pereceram afogados. Quando as águas se retiraram, só restou com vida um homem, sua mulher e seu filho moribundo. A árvore sempre estava lá, tão boa quanto no primeiro dia do mundo. O homem a contemplava com pavor e esperança: esta árvore poderia salvar seu filho. O homem decidiu escolher duas frutas: uma sobre o ramo da direita, e outra sobre o ramo da esquerda. As frutas eram absolutamente idênticas e esalavam um perfume maravilhoso.. Ele disse: " Se eu comer da fruta envenenada, eu morrerei, mas meu filho comerá da outra e ele estará salvo "! Então ele leva à sua boca uma fruta do ramo da direita, e o milagre se torna realidade: sentiu instantaneamente as forças lhe voltarem. Ele deu de comer à seu filho e a sua mulher, a saúde deles voltou assim como a vontade de viver. Os homens então se multiplicaram, viveram felizes, renderam culto à árvore. E os anos se passaram, e os séculos também. A árvore estava sempre tão boa quanto no primeiro dia do mundo. Aí! um dia os homens tiveram maus pensamentos enquanto olhavam o ramo da esquerda... À que serviu ele? Era necessário cortar este inútil portador da morte. Por que o manter? Eliminando-o, o ramo da direita seria o mais belo, o mais forte e o mais carregado de frutas. E então se uma criança vier a se enganar e escolher uma fruta envenenada? Era necessário preservar as crianças de tal perigo. Os anciões imploraram aos homens para que nada fizassem, mas eles não lhes escutaram. Eles eram muito velhos, muito enclinados à bondade; o dever dos homens era de preservar a vida dos seus. Então, um dia, os homens cortaram o ramo da esquerda... No dia seguinte, a árvore que havia resistido ao tempo, à seca, e às inundações... a árvore que os havia salvado, que os havia nutrido com tanta generosidade: a árvore havia morrido! Os homens compreenderam então que tudo sobre a terra têm sua utilidade. Mas isso estava antes do tempo: Eu temo que eles esqueçam a árvore no presente. Madeleine L

20 agosto, 2008

HISTÓRIA COMPLETA ENCANTO DE UMA NOITE DE VERÃO

Marionete e Saúde - Brasil
NOVIDADE DO BLOG

CLIC AQUI PARA VER OS SLIDES DA HISTÓRIA ANIMADA COM MARIONETES:
LEVA UM MINUTO PARA CARREGAR:

27 julho, 2008

OBJETIVOS DO PROJETO

Incentivar o profissional para Pesquisar, Ler, Contar Histórias, Escrever, Criar, Sorrir, Desenhar, Modelar, Cantar, Trabalhar os Sentimentos, as Emoções e os Sentidos, mantendo como foco a Ludicidade através do Teatro de Animação, na Educação e na Saúde.
Traducteur:

25 junho, 2008

HISTÓRIA DO LIVRO ENCANTADO...

E no Livro Encantado as Histórias estão se apagando... O Mago com seu Lápis Mágico já está consertando... Chegou a sua vez de ajudar e entrar em ação... Então de um Sorriso, e quando for preciso, use a Imaginação!!!!!.... Era uma vez... Personagem: Cigarra Cigana. Caminho: por terra - pela Floresta da Ilha. A Cigarra Cigana dançou, dançou e dançou... E a todos no verão alegrou... Encontrou o caminho para a Floresta... E fez dos dias uma grande Festa... Até que encontrou... Continue a história....

Traducteur: http://fr.babelfish.yahoo.com/